Pesquisar este blog

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Era uma Vez...

            Era uma vez uma Empresa que tinha muitos empregados, possui uma produção que cada dia mais batia recordes, mais tudo isso tinha um custo.


       Todo esse custo era porque esta Empresa possuia o PPRA e o PCMSO exigidos pelo Ministério do Trabalho !

         O que há de errado então ?

         O erro está no fato que toda essa documentação foi elaborada somente para cumprir a legislação, ou seja, não ter problemas com o Ministério do Trabalho quando em uma fiscalização.

      Estes documentos foram elaborados sem a preocupação em serem efetivamente implantados e consequentemente, quando na sua elaboração, foi solicitado ao profissional que não era para fazer muita coisa, deixando bem claro ao mesmo que a Empresa não se preocupava em aplicá-los e sim somente tê-los.

          Além desta situação, muitas outras situações no âmbito da Empresa ficam sem a devida tratativa ou até mesmo em casos que se deve "arrumar com jeitinho" condições que irão apresentar problemas de imediato, isto tudo por imposição do "Dono".

         Qual a postura que neste caso o profissional de Segurança do Trabalho irá adotar ?

         Que orientações e meios que o mesmo irá utilizar para demonstrar para a Empresa sobre a seriedade e importância destes documentos ?

         Em certos casos esta difícil tarefa passa a ser do Estagiário ou até do Técnico recém-formado; em muitos outros do Técnico de Segurança já experiente.

        Muitos irão responder que o Técnico de Segurança experiente conseguiria facilmente apresentar estes pontos, mas nem sempre essa condição também é verdadeira.

         A condição de ser ou não experiente pode até ser um fator diferencial, mas existe um outro fator que será o responsável por toda a conduta deste profisssinal - Ética e Índole.

        A grande diferença entre  elas é que a postura Ética se apresenta na condição de estar na presença de outros profissionais e pessoas, podendo sua conduta ser até mascarada sem que ninguém identifique ou perceba.

         Quanto a Índole, esta condição ocorre quando "Você" está sozinho sem haver ninguém para determinar qual tipo de conduta você irá adotar, cabendo somente a você demonstrar a sua postura profissional.

         O profissional de Segurança do Trabalho deve ser Ético, mas a ética somente será verdadeira se a ìndole for boa.

            Para reflexão, deixo o texto abaixo.

"O pensador russo Gurdjieff, que no início do século passado já falava em auto-conhecimento e na importância de se saber viver, traçou algumas regras de vida que foram colocadas em destaque no Instituto Francês de Ansiedade e Stress, em Paris.

Segundo os especialistas em comportamento humano, quem consegue praticar a metade dessas lições, com certeza terá mais harmonia íntima e menos stress.

As regras são as seguintes:

- Faça pausas de dez minutos a cada duas horas de trabalho, no máximo.

- Repita essas pausas na vida diária e pense em você, reflita sobre suas
atitudes.

- Aprenda a dizer não sem se sentir culpado ou achar que magoou.

- Querer agradar a todos é um desgaste enorme.

        - Planeje seu dia, sim, mas deixe sempre um bom espaço para o improviso, consciente de que nem tudo depende de você.

- Concentre-se em apenas uma tarefa de cada vez.

- Por mais ágeis que sejam os seus quadros mentais, você se exaure.

- Esqueça, de uma vez por todas, que você é imprescindível.

- No trabalho, em casa, no grupo habitual. Por mais que isso lhe desagrade, tudo anda sem a sua atuação, a não ser você mesmo.

- Abra mão de ser o responsável pelo prazer de todos.

- Não é você a fonte dos desejos, o eterno mestre de cerimônias.

- Peça ajuda sempre que necessário, tendo o bom senso de pedir às pessoas certas.

     - Diferencie problemas reais de problemas imaginários e elimine-os, porque são pura perda de tempo e ocupam um espaço mental precioso para coisas mais importantes.

      - Tente descobrir o prazer de fatos cotidianos como dormir,comer e tomar banho, sem achar que isso é o máximo a se conseguir na vida.

- Evite se envolver na ansiedade e tensão alheias enquanto ansiedade e
tensão.

- Espere um pouco e depois retome o diálogo, a ação.

     - Saiba que a família não é você, está junto de você, compõe o seu mundo, mas não é a sua própria identidade.

- Entenda que princípios e convicções fechadas podem ser um grande peso, a trave do movimento e da busca.

- É PRECISO TER SEMPRE ALGUÉM EM QUEM SE POSSA CONFIAR E FALAR ABERTAMENTE AO MENOS NUM RAIO DE CEM QUILÔMETROS.

- Saiba a hora certa de sair de cena, de retirar-se do palco, de deixar a roda.

- Nunca perca o sentido da importância sutil de uma saída discreta.

- Não queira saber se falaram mal de você e nem se atormente com esse lixo mental; escute o que falaram bem, com reserva analítica, sem qualquer convencimento.

       - Competir no lazer, no trabalho, na vida a dois, é ótimo... para quem quer ficar esgotado e perder o melhor.

- A rigidez é boa na pedra, não no homem. A ele cabe firmeza, o que é muito diferente.

- Uma hora de intenso prazer substitui com folga três horas de sono perdido.

- O prazer recompõe mais que o sono. Logo, não perca as oportunidades de se divertir.

- Não abandone suas três grandes e inabaláveis amigas: a intuição, a
inocência e a fé.
 
Por fim, entenda de uma vez por todas, definitiva e conclusivamente:

Você é o que fizer de Você mesmo."